Cursos e oficinas de capacitação irão impulsionar o turismo nas comunidades costeiras de Paraty

Créditos: Divulgação FUNBIO

 A cidade histórica de Paraty, no Rio de Janeiro, é Patrimônio Mundial pela Unesco. Rica em cultura e biodiversidade, recebe os turistas com seu ritmo próprio, culturas tradicionais, arquitetura colonial e cenário paradisíaco. Priorizando o resgate de saberes locais, o Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (IA-RBMA) realizou uma oficina, de 19 a 21 de março, para a criação do roteiro caiçara – Caminhos de Paraty, parte do subprojeto Roteiro Integrado de Turismo de Base Comunitária na Península da Juatinga.  

Representantes do Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO), do Instituto Estadual do Ambiente do Rio de Janeiro (INEA), do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), do Fórum de Comunidades Tradicionais (Rede Nhandereko), do coletivo de guias de Paraty e das lideranças locais das comunidades envolvidas no projeto estiveram presentes na oficina. A iniciativa é promovida pelo Instituto Amigos da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica (IA-RBMA), com apoio do Projeto Educação Ambiental que tem gestão financeira e operacional do FUNBIO.   

Por meio do subprojeto, desenvolvido na Reserva Ecológica Estadual da Juatinga (REEJ), Paraty acaba de ganhar novos condutores ambientais oficialmente credenciados pelo INEA. Oitenta moradores de comunidades locais agora estão habilitados para atuar como guias na unidade de conservação. Eles passaram por mais de 200 horas de treinamentos, entre capacitações de turismo, segurança e primeiros socorros. O projeto propõe um maior protagonismo da comunidade dentro do mercado de turismo local.  

Créditos: Divulgação FUNBIO

 

Capacitar jovens, ampliando as oportunidades de trabalho e geração de renda, alternativa é um dos caminhos para que eles permaneçam no território.  

“Primeiro nós realizamos o diagnóstico dos atrativos, identificamos as lideranças locais e capacitamos os moradores para serem condutores e para bem receber os turistas, com bons serviços de hospedagem e alimentação. Estamos finalizando os roteiros e alinhando a governança. O projeto irá beneficiar, diretamente, mais de 350 pessoas e já está gerando renda para a região.”, destacou Ana Maria Lopez Espinha, coordenadora do projeto.  



Créditos: Divulgação FUNBIO

 

Para quem visita Paraty será a oportunidade de conhecer e se aproximar, além dos cenários paradisíacos, da cultura caiçara contada e apresentada pelos locais a partir da pesca tradicional, da produção de farinha, do artesanato e da observação de aves. Em breve os serviços dos novos condutores estarão disponíveis para o turismo local. 

A partir de cursos, oficinas e seminários, os jovens são capacitados para uma melhor estruturação e qualificação dos serviços locais. O desenvolvimento do turismo de base comunitária fortalece as atividades dos moradores e é uma oportunidade de impulsionar a qualificação, valorizar a cultura local e proporcionar uma maior geração de renda para a comunidade.  

O projeto Educação Ambiental é uma medida compensatória estabelecida pelo Termo de Ajustamento de Conduta de responsabilidade da empresa PRIO, conduzido pelo Ministério Público Federal – MPF e executado pelo Fundo Brasileiro para a Biodiversidade (FUNBIO). 

 

Projetos