Incentivo à maricultura

Incentivo a maricultura_FUNBIO

Seis iniciativas de fomento à maricultura acabam de iniciar seus trabalhos em diferentes pontos do estado fluminense: quatro delas em Ilha Grande, uma em Niterói e uma em Arraial do Cabo. Com recursos do Projeto Pesquisa Marinha e apoio técnico da Fundação Instituto de Pesca do Rio de Janeiro (FIPERJ), as atividades injetam um novo ânimo ao setor. “Os projetos vão fomentar iniciativas de regularização e ordenamento, legalização de empreendimentos, diversificação de espécies, desenvolvimento de novas tecnologias, monitoramento ambiental contínuo e produção de sementes de moluscos bivalves, tudo isso fundamental na busca pelo desenvolvimento sustentável da atividade”, lista Felipe Landuci, um dos diretores da instituição.

Desde o ano passado, a própria FIPERJ também passou a receber recursos do Projeto Pesquisa Marinha, a fim de que tivesse ainda mais estrutura para apoiar os maricultores na ponta. De lá para cá, a instituição vem estendendo seu monitoramento ambiental nas regiões da Costa Verde, Metropolitana e Baixadas Litorâneas, além de conseguir investigar com mais profundidade as causas da mortalidade de vieiras – um problema recorrente nessas áreas. Segundo Felipe Landuci, o apoio veio em boa hora: “A maricultura fluminense vive um momento crítico, e sem este fomento inevitavelmente a atividade teria um futuro de curto prazo”.

Texto originalmente produzido pelo jornalista Bernardo Camara para a newsletter “Linhas do Mar” para divulgação dos Projetos Apoio à Pesquisa Marinha e Pesqueira, Educação Ambiental e Apoio a UCs.

Projetos