Unidos pelos manguezais

Football

Na reta final de encerrar um ciclo potente de trabalho, representantes de seis iniciativas voltadas para os manguezais se reuniram entre os dias 9 e 11 de maio no 2° Seminário do Projeto Pesquisa Marinha, no Rio de Janeiro. Foram mais de 30 pessoas trocando saberes, apresentando resultados e fortalecendo uma ampla rede de pesquisadores, pescadores, instituições e associações que atuam na conservação e uso sustentável desses ecossistemas.

“O seminário foi de grande relevância”, resume a geógrafa Catia Antonia da Silva, coordenadora da iniciativa Observatório Socioambiental da Baía de Sepetiba. “O evento possibilitou novas parcerias para trocas de metodologias e experiências sobre o tema do PAN Manguezais e sobre a realidade socioambiental fluminense, de uma forma geral”, diz. 

À frente do Projeto Guaiamum: Bioecologia e etnoconhecimento para a conservação, o pesquisador Eduardo Viana também saiu animado do encontro. “Foi muito produtivo. Ao reunir várias iniciativas de um mesmo campo de atuação, foi possível identificar sinergias e refletir sobre novas propostas de ação para o futuro”, diz.

Os pesquisadores acreditam que o intercâmbio entre diferentes grupos e abordagens de estudo certamente suscitou ideias para novas iniciativas e parcerias, além de ter produzido dados relevantes para o aperfeiçoamento e a criação de políticas públicas voltadas à proteção dos manguezais – e das comunidades que ali vivem.

 
Texto originalmente produzido pelo jornalista Bernardo Camara para a newsletter “Linhas do Mar” para divulgação dos Projetos Apoio à Pesquisa Marinha e Pesqueira, Educação Ambiental e Apoio a UCs.

Projetos